A rede mundial de informações deixou de ser um conjunto de páginas da web nas quais os usuários consultam informações e trocam mensagens.

As pessoas tomaram as rédeas da tecnologia e agora estão conduzindo, sem rumo fixo.
Trata-se daquilo que veio a ser denominado Web 2.0, uma mudança de paradigma derivada de um novo ambiente tecnológico e social.

Web 2.0 nome à transformação por que a rede vem passando desde 2004, desde então começaram a surgir e se popularizar, recursos e ferramentas concebidos para que usuários montassem páginas próprias, gerassem e compartilhassem informações e colaborassem online.

Essas ferramentas permitem que os usuários estejam mais presente, participem de forma mais ativa e sejam responsáveis por aquilo que se encontra ao percorrer as estradas da informação.
Exemplos claros e conhecidos são a Wikipédia – enciclopédia colaborativa online, o site de vídeo YouTube, o site de fotografia Flickr.com e aqui no Brasil o Orkut.

O poder das novas plataformas digitais é notável. A Wikipédia é o sexto site de Internet mais visitado do mundo, o mundo virtual do Second Life tem cerca de oito milhões de usuários registrados, MySpace conseguiu superar o meio milhão de inscritos nos dois meses na sua versão em espanhol, o iTunes já comercializou 3 bilhões de títulos, o número de blogs em atividade supera os 70 milhões em todo o mundo. E todos esses números e tantos outros são sustentados por uma nova geração de usuários superpoderosos.

O surgimento desses usuários tem explicação, são os “nativos digitais”, uma geração nascida já sob um novo paradigma, o da imagem e da sociedade da informação e ao fato destes usuários utilizarem as novas ferramentas incorporadas ao lado profissional da rede.

O propulsor essencial deste contexto é sem duvida a simplificação da tecnologia, a participação ativa por meio da Internet estava antes reservada a usuários avançados.
Mas agora, com uma infinidade de páginas simples de usar e de interfaces atraentes e de fácil utilização, a rede se democratizou tanto em termos de acesso quanto de criação de conteúdo.

A tecnologia que permitiu esse passo se chama Ajax (Asynchronous Javascript And XML), um sistema de desenvolvimento de sites que permite modificar as informações de uma página sem que seja preciso recarregá-la completamente, agilizando a interação com o usuário.
Na realidade, a tecnologia Ajax não é novidade. Ela representa, em essência, uma combinação criativa de tecnologias conhecidas há bastante tempo, que permite agilizar as interações entre o browser e os usuários. Um bom exemplo são, os sistemas de gestão de conteúdo que representam a conexão essencial das plataformas de serviços editoriais e de colaboração que se baseiam em blogs e wikis.

A Web 2.0 continua evoluindo, neste momento o destino ao qual poderá chegar dependerá essencialmente da vontade dos usuários.

A promessa é que a rede será convertida em espaço social, influenciada por todos os agentes sociais, e por isso transformada em fenômeno capaz de sustentar e formar parte de uma verdadeira sociedade da informação, comunicação e conhecimento.

Scroll Up