A vasta região da floresta amazônica, no Brasil, foi a residência de um complexo de antigas cidades nas quais viviam cerca de 50.000 pessoas.

Os cientistas, cujas conclusões foram publicadas na quinta-feira na revista Science, descrevem os aglomerados de pequenas vilas e aldeias ligadas por complexas redes viárias.

Os assentamentos de cidades e vilas menores eram murados organizados em torno de uma praça central.

Esta sociedade foi condenada pela chegada dos Europeus há cinco séculos, Colonos europeus e as doenças que trouxeram, provavelmente isso matou a maior parte dos habitantes, disseram os pesquisadores.

“Essas não são cidades, mas é urbanismo, construído em torno de cidades”, disse em uma declaração o antropólogo Heckenberger Mike, University of Florida.

Apoiados nas imagens por satélite, os pesquisadores brasileiros e americanos gastaram mais de uma década com o mapeamento das comunidades.

Antes da chegada dos europeus a partir de 1492, as Américas foram lar para muitas sociedades prósperas, impressionantes e grandes cidades.

A existência dos antigos assentamentos no Alto Xingu, região da Amazônia no centro-norte do Brasil são reais e significa aquilo que muitos especialistas que examinando as florestas tropicais, afirmam que foram fortemente afetadas pela atividade humana no passado.

Scroll Up