Quando um político paga um salário por filho para as famílias, então este tem uma atitude que se preocupa com o social de uma nação…muito bem e quando outro político resolve combater a poluição visual da maior cidade desta nação esta também não é uma atitude que pensa no social.
Aceito a segunda atitude como sendo a mais coerente.
Pois era nítido a contribuição nociva que a mídia externa trazia para o dito visual da cidade.
O bônus por volume incentivou um segmento que se tornou um meio agressivo e de pouco retorno para quem investe nesta mídia.
A prefeitura tentando controlar sem rédia, os produtores e mantedores destes espaços em constante combate na busca do melhor, do maior e mais eficaz espaço ou formato, clientes satisfeitos com baixos índices de audiência na relação custo beneficio, o público saturado de tanta placa e o meio ambiente agredido.
Então a atitude do prefeito observada pelo ângulo marreteiro inteligente e atualizado, a mesma tem tudo haver com o contexto que publicidade vive hoje, pois a globalização ninguém entendeu mas a convergência de mídias ta se tornando uma grande festa.
Que os anunciantes utilizem suas verbas de mídia externa em outros canais mais legais e divertidos, que trazem mais retorno para a marca e valor agregado, como exemplo um bom blog com qualidade de informação, pesquisa e disponibilização de músicas e vídeos, distribuição de livros digitais utilizando-se de sites de relacionamento, ou ações de cunho social ou ecológico.
Os anunciantes em conjunto com a prefeitura podem trabalhar para a restauração e conservação de espaços públicos como praças, parques, clubes, museus, teatros e outros.
Como exemplo as Casas Bahia poderia abdicar de placas enormes de layout minimalista para uma fachada de época criada e produzida por uma escola de samba…
Esta é uma atitude de marketing de guerrilha?
É tão legal como a do prefeito?
É utópica?
Ou sei lá o que? Não sei…
Mas sei que é melhor que pagar salário por filho e de ficar colocando placa a torto e a direito por ai…

Scroll Up