Blockchain nos ajudará, a ser humanos online, pois no mundo off-line, temos nossa individualidade.

Blockchain e o Trabalho

No dia a dia podemos escolher roupas diferentes, alimentos diferentes, carros diferentes, sapatos diferentes, mas on-line a escolha de produtos diferenciados pouco evoluiu. Claro, novos produtos são criados, mas eles desaparecem porque eles não se tornaram “grandes o suficiente”.

Com criptografia, os produtos e serviços podem se sustentar cobrando os tokens dos usuários. Os usuários podem ganhar esses tokens fazendo um trabalho, ou se eles tiverem dinheiro suficiente, então eles podem comprar os tokens.

Isso democratiza o acesso a produtos e serviços on-line. Até agora, apenas aqueles com dinheiro off-line poderiam comprar produtos e serviços on-line. O offline sempre apresentou possibilidades limitadas de se ganhar dinheiro. Com o Blockchain e a cryptocurrency, haverá oportunidades ilimitadas para que as pessoas ganhem dinheiro e depois usem isso para produtos e serviços.

Você pode olhar para o mundo de duas maneiras agora:
1. Um mundo onde a automação está matando empregos
2. Um mundo onde Blockchain está criando empregos ilimitados

Estamos nos estágios iniciais de um novo capítulo na natureza do trabalho. Blockchain nos permitirá fazer nossos trabalhos e sermos recompensados dentro de novas comunidades econômicas que têm suas próprias unidades monetárias e suas próprias unidades de trabalho.

A maioria dos trabalhos de hoje somos remunerados através de acordos bilaterais entre um trabalhador e um empregador, de acordo com um contrato simples, onde nós trabalhamos em X trabalho, e vamos ser remunerados em moeda Y.

Mas e se tivéssemos maior autonomia, onde nós escolhêssemos nosso próprio trabalho. Teriamos melhor controle de nossa carreira profissional, seríamos capazes de executar novos tipos de tarefas que podem ou não se assemelharem ao que é tradicionalmente considerado trabalho, e ganhar criptocorrência em vez de moeda fiduciária.

Já existe uma série de negócios baseados em Blockchain que estão recompensando os usuários por seu “trabalho” através de tokens digitais. Steemit por exemplo, recompensa os usuários que votam ou escrevem posts em sua plataforma de conteúdo descentralizada. A teoria da plataforma de transporte descentralizada La’Zooz é que você ganha pontos Zooz, apenas dirigindo seu carro enquanto o aplicativo coleta dados sobre os seus padrões de condução.

Uma entidade de pesquisa de saúde poderia pagar pacientes ou pessoas normais que compartilham seus dados médicos, em troca da sabedoria coletiva que é adquirida pela agregação dessas informações, e retornando insights personalizados ou comparativos.

Com certeza, isso é um dos maiores temas que envolve a tecnologia Blockchain. A consequência será que em vez de fazer um trabalho nós poderíamos aprender e desenvolver diversos trabalhos. A força para tornar isso possível, é a relação entre o trabalho real feito, valor criado e valor recebido.

Vamos entender melhor o que está acontecendo, então os usuários realizam algum trabalho, seja passivo (dirigindo e compartilhando dados), ou ativo (votando em um post, ou tomando uma decisão). Aqui cada mercado tem sua própria “unidade de trabalho”, que consiste em uma variedade de atividades.
Cada unidade de trabalho gera valor para o seu mercado, para outros usuários e para o próprio usuário final. Esta é uma expansão da teoria do efeito de rede onde as ações de cada usuário beneficiam outros usuários.
Em troca desse valor, os usuários são recompensados com uma moeda token nativa, a própria moeda do mercado gerado entorno da comunidade de usuários.
Essa moeda pode ser gasta dentro do mercado em outra transação ou serviço (por exemplo, pagar um passeio, promover um conteúdo), ou pode ser trocado fora do mercado da comunidade por outra criptocorrência (Bitcoin, Ethereum, outra) ou dinheiro fiat.
O valor do mercado que gira em torno da comunidade como um todo aumenta e é potencializado proporcionalmente com a quantidade de atividades e valor que são gerados dentro dele.

Blockchain e o Trabalho

Novos sistemas de trabalho estão se desenrolando e Blockchain esta proporcionando esta mudança de paradigma. Não esquemas de Ponzi, mas sim sistemas e uma nova maneira de gerar valor econômico.
Os elementos mais importantes para o sucesso de uma iniciativa neste cenário, são o trabalho a ser feito deve ser variado, o trabalho a ser feito deve ser valioso e valorizado, e por fim os usuários devem ser capazes de gastar suas moedas ganhas internamente, a fim de gerar mais valor.
O que está acontecendo aqui é a criação de mini economias circulares que são autossuficientes. Alguns desses modelos serão criados por novas empresas, enquanto outros serão extraídos de empresas existentes.
Os modelos que saírem de empresas existentes serão interessantes para assistir, porque a maioria das empresas e seus usuários hoje, criam um excesso de valor que não é bem capturado. Vincular os elementos críticos como descritos acima, dará uma nova vida ao modelo econômico existente.

No momento o ecossistema Blockchain apresenta algumas inovações no segmento trabalho, que embora ainda na infância, afirmam que estamos caminhando na direção da “Revolução Industrial 2.1”. Podemos destacar as plataformas Ethlance que é um portal de trabalho criado na rede Ethereum, outra opção é Chronobank que pretende ser um portal de recrutamento perturbador dos departamentos de Recursos Humanos em todo o mundo, minando o status quo. E uma plataforma destinada aos estudantes, BitJob é um esforço global, nivelando o campo de jogo para estudantes de todo o mundo para obter o valor justo de seus talentos de forma rápida e direta.

Poderá ser este o futuro do trabalho e da criação de riqueza?

Share on Facebook0Pin on Pinterest0Share on LinkedIn0Share on Google+0Tweet about this on Twitter