.

Pawel Althamer comemora o ser humano em toda a sua fragilidade.

Para o artista e polonês, o ser humano é o centro de um universo que pode ser

transformado em um conto de fadas ou numa extrema experiência espiritual.

.

.


.

Pawel tem usado o seu próprio corpo e a sua própria imagem  como as ferramentas para construir uma outra que se relaciona com o mundo exterior. Multiplicando a sua identidade em um infinito composto de ídolos, bonecos, marionetes e símbolos perturbadores. Cria um visual autobiográfico, retratando-se como uma criança, como um minúsculo monstro personagem em alguma antiga fábula ou como Aerostato, um balão com mais de 20 metros de comprimento,

nu, que se apresente perante o juízo da opinião pública.

.

.

Categorias: Art

Adirson Allen

evangelista de tecnologia, designer de tendências e cool hunter