Relógios em madeira por Valerii Danevych.

Relógios em madeira por Valerii Danevych.

Art, Design

.relogio01

.

Valerii Danevych nasceu e trabalha em Kiev capital da Ucrânia, descendente de uma família marcada por gerações de marceneiros, apresenta essa coleção de relógios criados inteiramente de madeira, que são requintados dispositivos para observar o tempo, pois são totalmente funcionais.

As criações utilizam uma variedade de madeiras, ele só faz uma exceção para incorporar uma mola de metal necessária para o mecanismo, que possibilita em média uma reserva de energia em torno de 24 horas, o trabalho bem elaborado compensa pois os relógios são verdadeiras obras de arte.

Foi em 2005 que ele teve a ideia de fazer relógios em madeira sem a educação como relojoeiro, seu talento e perseverança foram fazendo-o produzir entre suas muitas obras de arte os relógios de pulso em madeira que funcionam em todo o mundo. Até que em 2012 sua carreira deu um salto quando foi nomeado candidato oficial da famosa associação de relógios independentes e criativos (AHCI) despertando o interesse dos fabricantes de relógios de todo o mundo.

.

relogio02

relogio03

relogio04

relogio05

relogio06

relogio07

relogio08

relogio09

.

Skyline de Macau construída com 85.794 Cubos Rubik.

Skyline de Macau construída com 85.794 Cubos Rubik.

Art

skyline01

.

Recentemente o Cube Works Studio entrou para o Guinness Book of Records, com um trabalho retratando a skyline da cidade de Macau na China, construída com nada menos que 85.794 Cubos Rubik.

O estúdio canadenses de Toronto levou vários meses desenvolvendo um enorme mosaico com os principais destaques da cidade, o mural acabado tem mais de 13 metros de altura e mais de 200 metros de largura, e esta à beira-mar de Macau, nos arredores de Hong Kong.

.

.

skyline02

skyline03

skyline04

skyline05

skyline06

skyline07

.

Dois Coelhos by Afonso Poyart.

Dois Coelhos by Afonso Poyart.

Art

Afonso Poyart atuando pela produtora Black Maria, apresenta “Dois Coelhos“, filme brasileiro, movimentado, cheio de tiroteios, perseguições, e explosões.

Desenvolvido de forma empolgante, dinâmica, e na base uma trama com DNA de games, que leva o real espectador a ficar atento, e não perder o fio da meada.

.

.

Inspirado no trabalho de Quentin Tarantino, o filme foca no fato que o gênero “ação” pode ser alavancado no Brasil e popularizar-se dentro do cinema nacional. Assim a produção vem bem lapidada com destaque para fotografia de CARLOS ZALASIK, efeitos especiais de SÉRGIO FARJALLA, o trabalho com supercâmeras, e animações em 3D onde personagens nascidos de desenhos interagem com o elenco real, que vai surpreender e atrair o público aos cinemas.

.

.

O roteiro traz Edgar (Fernando Alves Pinto) encontra-se na mesma situação que a maioria dos brasileiros: espremido entre a criminalidade, que age impunemente, e a maioria do poder público, que só age com o auxilio da corrupção.

Cansado de ser vítima desta situação, ele resolve fazer justiça com as próprias mãos e elabora um plano que colocará os criminosos em rota de colisão com políticos gananciosos.

Na medida que o plano de Edgar é executado, descobrimos pouco a pouco suas reais intenções e sua história, marcada por um terrível acidente e um amor que ele jamais esqueceu. 2 Coelhos é um enigmático suspense de ação onde cada minuto vale mais que todo o passado.

Ficha Técnica

elenco: ALESSANDRA NEGRINI, CACO CIOCLER, FERNANDO ALVES PINTO, MARAT DESCARTES, NECO VILA LOBOS, ROBERTO MARCHESE, NORIVAL RIZZO, THOGUN, THAÍDE, YORAM BLASCHKAUER, ROBSON NUNES e participação especial de ALDINE MULLE.

Roteiro original AFONSO POYART
direção de fotografia CARLOS ZALASIK
figurino CAROLINA SUDATI
trilha sonora ANDRÉ ABUJAMRA e MÁRCIO NIGRO
maquiagem DOEL SAUERBRONN JR
produção de arte VIRGÍNIA RECCO
som direto TIDE BORGES e LIA CAMARGO
montagem AFONSO POYART, ANDRÉ TOLEDO e LUCAS GONZAGA
desenho de som RODRIGO FERRANTE
mixagem ANDRÉ TADEU
coordenação de pós-produção MARCIO FAURER
coordenacão de efeitos digitais CARLOS FAIA e GUS MARTINEZ
coordenação de efeitos especiais SÉRGIO FARJALLA
motion designer XICO DE DEUS
assistente de direção JANAINA CABELLO
produção de elenco SCHIRLEY ALSARO
produção executiva ANGELA FARINELLO, CHRISTIANO SENSI, ROSANA ODA e VALÉRIA RAUCCI
produção AFONSO POYART e ANDRÉ POYART
direção AFONSO POYART

Calabarte by Przemek.

Calabarte by Przemek.

Art, Design

O trabalho com cabaças é uma forma de arte antiga e bela, mas as cabaças iluminadas do artista polonês Przemek são realmente peças que fazem a diferença.

As criações são cuidadosamente produzidas a partir deste fruto exclusivo, através de um processo de perfuração manual e enquadramento. Totalmente natural e com materiais da mais alta qualidade de artesanato, geram efeitos incomuns.

Originalmente criados pela natureza, são perfurados e esculpidos, em seguida recebem o sistema de iluminação para lançar intrincados padrões através de milhares de buracos, e criam uma atmosfera única.

FRAMED*, a nova plataforma para a arte digital.

FRAMED*, a nova plataforma para a arte digital.

Art, Design, Tecnologia

FRAMED* uma nova plataforma para a arte digital, plugins e acessórios, apresentados em uma base compacta, funcional e resistente.

Composta por um monitor 40 “LED Samsung Full HD Ultra Clear, Windows 7, Intel ® Core ™ i5, Wi-Fi, Bluetooth, todos esses e tantos outros.

O projeto FRAMED*  foi idealizado por Yugo Nakamura designer na tha ltd. em Tokyo, com a colaboração de Yoshihiro Saitoh, designer de interiores e fundador da A-Study Co., em Tokyo, e a equipe de design e engenharia da empresa Om Inc., com sede em Taipei.

Projetado para uso diário em espaços públicos ou privados, traz estilo para todos os momentos da vida, pois permite a exibição de diversas formas de expressão, incluindo a arte interativa, aplicações web, motion graphics e ilustrações, assim transforma os espaços onde esta atuando em uma galeria de arte.

Mosaico Chinês Interativo por Dominique Musorrafiti.

Mosaico Chinês Interativo por Dominique Musorrafiti.

Art, Design

Neste mosaico Dominique Musorrafiti que escreve para CinaOggi e Planet China sobre arte, arquitetura, cinema, design e tendências, expressa seu amor pela fotografia analógica.

O mosaico em questão é feito com mais de 1800 fotos analógicas originais e selecionadas.

As fotos focadas no tema cotidiano chinês, foram tiradas em um período de quatro anos, com 11 câmeras, diferentes técnicas, com filmes de diversas marcas, e todo esse material para compor um mosaico criado em Silverlight.

Câmeras são SuperSampler, Lubitel 166+, Horizon Kompakt, LCA+, Diana F+, Holga 120CFN, Spinner 360°, Diana Multipinhole Operator, Diana Instant back, Robot Desideri, Vivitar A35 Splashproof, Split Cam Image Fusion, e Canon Prisma AS-1.

Os filmes usados 35mm e 120mm, Color Negative,Slide, B&W, RedScale, homemade RedScale, das marcas Fuji, Kodak, China Lucky, Lomography, Konica Minolta Centuria, MyHeart, KlickMax, e Fuji MiniInstax.

Finalizando as técnicas como Overlapping, Double Exposure, Lightleaks, Splitzer, CrossProcessed, Colored filters, Caleidoscope filter, Splitz Image Lens Filter, Macro lens, Close-up lens, Tunnel vision lens, e Color Flash.

Canal St. Cross-Section by Alan Wolfson.

Canal St. Cross-Section by Alan Wolfson.

Art

Alan Wolfson cria esculturas artesanais em miniatura de ambientes urbanos, as peças são completas de detalhes, com vistas complexas dos interiores e efeitos de iluminação, onde o processo de criação de uma obra pode levar vários meses para ser concluído.

O resultado final e as obras geralmente não são representações exatas dos locais já existentes, mas sim uma combinação de dados de diferentes locais, juntamente com muitos dos detalhes da imaginação do artista.

Há um elemento narrativo para cada trabalho, os cenários são construídos com o uso de objetos inanimados na cena, nunca há pessoas presentes, as únicas coisas são as que ficaram para trás, é o lixo, na parede o graffiti, uma dica sobre uma mesa de jantar de quem estava por ali, todos esses detalhes dão ao trabalho uma sensação de movimento e um enredo.

Aqui o artista apresenta a obra “Canal St. Cross-Section”, o cenário é uma combinação de cinco partes principais construído em uma caixa. Há uma cena de rua na parte superior com uma entrada do metrô na esquina, olhando para dentro da entrada do metrô, você é levado para os dois níveis subterrâneos da peça, há pequenas janelas nas laterais da peça que proporcionam visualizar detalhes, e o trabalho levou 18 meses do início ao fim.

Joia Viva by A hand made.

Joia Viva by A hand made.

Art, Design, Fashion

Inspirada na força e magia da atração nasce a JOIA VIVA.

Acrescenta-se às Terras Raras – material magnético mais contemporâneo – um pouco de arte, resina, ouro… e o desejo do bem.

Os chineses admiraram e observaram a pedra imantada que apontava sempre para a direção norte-sul. Denominaram-na ‘pedra guia’, utilizando-a na orientação em viagens, o que originaria, mais tarde, na bússola. E, logo perceberiam algumas propriedades terapêuticas sobre a atuação dessas forças que a envolviam…

Textos gregos fazem também referência à observação de propriedades de atração de certos corpos constituídos de um mineral proveniente a região da Magnésia, daí o nome Magnetita e seu poder de atração. magnetismo.

Desde que foram descobertos, e até hoje, os fenômenos magnéticos despertam a curiosidade e o interesse das pessoas pelos seus poderes aparentemente mágicos.

As peças aderem ao cordão de bolinhas de formas variadas criando e se transformando o tempo todo.

Vários modelos, cores e materiais mixados combinam beleza, praticidade, versatilidade e diversão.

“A JOIA VIVA é uma peça lúdica que usa a  magia e o poder do magnetismo para seu bem estar e para lembrar do nosso potencial natural para a beleza e para a transformação.”



PARTY by ROTGANZEN.

PARTY by ROTGANZEN.

Art

ROTGANZEN é um coletivo de artistas baseado em Rotterdam, formado por Robin Stam (1981), Horstink Joeri (1982) e Mark van Wijk (1984). Eles cresceram e passaram a sua juventude em Spijkenisse, um subúrbio de Rotterdam.

Com suas obras, os artistas da ROTGANZEN trazem uma visão inflexível sobre as suas próprias emoções e sentimentos conflitantes. Os motivos por trás desses conflitos, são as memórias de uma juventude descuidada, os sentimentos de suas vidas presentes e visões sobre o futuro.

PARTY tem como pano de fundo, a festa que acabou e uma tenda de festa, com as pernas parcialmente inclinadas, foi deixada para trás. Esta imagem exata é capturada e estilizada gerando, uma série de objetos feitos de aço, e o que antes era frágil tornou-se sólido.

A obra representa a ambivalência que aparece nas festas de quintal, onde por um lado há alegria de festa, de outro não passa de superficialidade e vazio.

Officewear by Ted Sabarese.

Officewear by Ted Sabarese.

Art

Officewear projeto do fotógrafo Ted Sabarese é uma brincadeira sadia com o cotidiano de um escritório comum e simples, a série de fotografias gira em torno de um recurso cômico, o de utilizar “material de escritório” como roupa do dia a dia de trabalho em um escritório.

Sabarese que estudou fotografia na New School in New York City, passou um tempo como professor de inglês da faculdade, designer gráfico, escritor de ficção e diretor criação, com essa formação justifica seu foco crítico e apurado do cotidiano humano em sociedade.