Um grupo colaborativo residente na Cornell University nos corredores e salas do Computational Synthesis Lab., composto pelos azes Micheal Tolley, Jonas Neubert, Mekala Krishnan, Micheal Kalontarov, Stephane Constantin, Abe Cantwell, e Jeremy Blum, apresentam os primeiros passos para a matéria programável.

Imagine uma substância de construção autônoma, capaz de montar qualquer forma desejada, uma substância que é capaz de alterar suas propriedades físicas como forma, rigidez, cor, e ainda conforme indicado pelo usuário.

Parece coisa de ficção científica, mas a matéria programável ​​poderia ter reais vantagens, pois objetos seriam montados ou reparados a distância, e os descartáveis poderão ser reciclados em novos objetos, uma vez que não são mais necessários.

Assim o grupo de trabalho centra seus esforços no desenvolvimento de módulos de alguns centímetros que contêm a funcionalidade mecânica e elétrica necessária para serem controlados e assim oferecerem auto-montagem.

Eleve até o ponto onde nanopartículas podem conseguir trabalhar juntas para formar uma massa homogênea, podemos pensar que essa massa seria uma forma de matéria programável.

.

.

Scroll Up